Blogs

La UPM lanza su primer itinerario formativo en tecnología en Miríadax

Sabemos que sumergirse en el universo tech no siempre es una tarea sencilla. Su día a día está repleto de anglicismos, que, en muchas ocasiones, no encuentran una traducción perfecta en la lengua española y portuguesa. La evolución constante de la tecnología representa otro desafío para aquellos que quieren estar a la par de las últimas novedades e innovaciones tecnológicas. ¡Pero no te preocupes! Miríadax está aquí para ayudarte.

Somos tus aliados en la búsqueda de información sobre las tendencias del mercado profesional y en la oferta de soluciones formativas transformadoras en tu propio idioma, de la mano de los mejores especialistas del sector y profesores universitarios de Iberoamérica.  En este sentido, nos alegra anunciar el primer itinerario formativo en tecnología o microcredencial lanzado en Miríadax y desarrollado por la Universidad Politécnica de Madrid. 

Ahora podrás conseguir tu certificación en Desarrollo Web Fullstack con JavaScript y Node.js y controlar todas las etapas de creación y desarrollo de un producto digital: desde la interfaz con el usuario hasta el diseño técnico, la estructura y la funcionalidad detrás de cada producto.

Este conocimiento integral convierte este perfil profesional en uno de los más demandados en la actualidad. El itinerario aúna cuatro cursos, incluyendo uno de los más populares en la historia de Miríadax: Desarrollo Fronted con HTML, CSS y Javascript.  

Los demás cursos que completan el itinerario son Gestión de proyectos software con GIT y GITHUB, Desarrollo Backend con Node .js, Express y Bases de Datos, culminando con el curso Desarrollo de un Proyecto Fullstack con Javascript, en el que, podrás desarrollar un proyecto fullstack sencillo, pero realista. 

Matricúlate en la microcredencial abonando el valor correspondiente por el itinerario completo, o, si lo prefieres, inscribirte de forma individual en uno solo de los 4 cursos y pagar el valor correspondiente para examinarte al final de cada curso para obtener el Certificado de Formación Continua con Aprovechamiento expedido por la UPM. 
Modelo europeo de microcredenciales

Con este itinerario, la UPM se suma al modelo europeo de microcredenciales impulsado por Miríadax y te permite obtener un título de la UPM denominado "Desarrollo Web Fullstack con JavaScript y Node.js y 9 créditos ECTS, que podrás utilizar posteriormente para continuar tus estudios oficiales en esta prestigiosa universidad. 

En mayo de 2019, el European MOOC Consortium (EMC), formado por Miríadax,  FutureLearn, France Université Numérique (FUN), OpenupEd y EduOpen, presentó  la propuesta de un Marco Común de definición de Microcréditos. 

El EMF trabaja para sentar las bases de una nueva credencial internacional que satisfagan las necesidades de los estudiantes de life long learning, a nivel mundial y por tanto se reconozcan como créditos universitarios académicos. 

Para garantizar que los cursos con microcréditos se construyan con altos estándares de calidad, el CMF considera que los cursos deben desarrollarse dentro del marco nacional de cualificaciones de la universidad y, en Europa, en línea con el Marco Europeo de Cualificaciones (EQF), cuyo objetivo es hacer que las calificaciones sean más legibles y comprensibles en diferentes países y sistemas.

Lee más sobre el Marco Común de Microcreditos aquí. 

European MOOC Consortium (EMC) apresenta um Quadro Internacional Comum de Microcréditos “para a aprendizagem ao longo da vida”

Miríadax é o representante espanhol no consórcio europeu

O Consórcio Europeu MOOC (EMC) apresenta um Quadro Comum de Microcrédito internacional "para a Aprendizagem ao Longo da Vida". 

A fim de unificá-los em todo o mundo e ter reconhecimento universitário oficial no âmbito do Quadro Europeu de Qualificações (QEQ). 

Madrid, 13 de Maio de 2019.  O Consórcio Europeu MOOC (EMC), formado por Miríadax, FutureLearn, France Université Numérique (FUN), OpenupEd e EduOpen, apresentou a proposta de um Quadro Comum para a definição de Microcredenciais. 

No meio da revolução digital, as pessoas precisam formar-se constantemente para adquirir novos conhecimentos, habilidades e competências por meio de MOOCs (cursos online, massivos e abertos) reconhecidos e de qualidade. O EMC trabalha para estabelecer as bases para uma nova credencial internacional que satisfaça as necessidades dos estudantes de aprendizagem ao longo da vida em todo o mundo, além de ser reconhecida como créditos universitários acadêmicos. 

Para garantir que as microcredenciais sejam construídos com elevados padrões de qualidade, o EMC considera que os cursos devem ser desenvolvidos no quadro nacional de qualificações da universidade e, na Europa, em conformidade com o Quadro Europeu de Qualificações (QEQ), que visa tornar as qualificações mais legíveis e compreensíveis em diferentes países e sistemas.

Ana Casilda Andrés, CEO da Telefônica Educação Digital e diretora da Miríadax, afirma: "Como primeira plataforma ibero-americana em espanhol, que colabora com mais de 100 universidades, acreditamos que é fundamental ter um sistema oficial de microcrédito que seja facilmente aplicado pelas empresas para definir as habilidades e conhecimentos profissionais de seus empregados e que possuam uma homologação acadêmica das universidades que os ensinam que transcenda suas fronteiras internacionais". 

Mark Lester, diretor gerente de parcerias educacionais de  FutureLearn explica que "deixar o trabalho por longos períodos de tempo para obter uma qualificação tradicional é quase impossível nesta nova era digital e é necessária uma nova solução do setor da educação para satisfazer esta necessidade crescente. A atual oferta de microcredenciais tem popularizado até agora formas curtas de aprendizagem on-line entre as universidades, mas a proliferação de diferentes tipos de microcrédito está se tornando um tanto confusa para estudantes e empregadores. Os parceiros da EMC se orgulham de colaborar, juntamente com nossos respectivos parceiros universitários, para tentar garantir que haja maior coerência, qualidade e portabilidade nas microcredenciais que desenvolvemos.

Para se qualificar para uma microcredencial dentro deste quadro, a EMC declara que um curso deve cumprir as seguintes especificações:

  • Ter um tempo total de estudo não inferior a 100 horas e não superior a 150 horas, incluindo a revisão e conclusão da Avaliação Sumativa.
  • Estar no nível 6 ou 7 do Quadro Europeu de Qualificações ou em níveis equivalentes do quadro nacional de qualificações da universidade.
  • Fornecer uma avaliação sumativa que permita que os créditos acadêmicos sejam concedidos directamente após a conclusão bem sucedida de um microcrédito ou através do reconhecimento da aprendizagem prévia, inscrevendo-se como estudante nos currículos universitários.
  • Operar um método confiável de verificação de identidade no ponto de avaliação que esteja em conformidade com as políticas universitárias e/ou que seja amplamente adotado em plataformas autorizadas para uso.
  • Equacionar uma transcrição que estabeleça os resultados de aprendizagem de um microcrédito, o total de horas de estudo necessárias, o nível do QEQ e o número de pontos de crédito obtidos.

 

Estes cursos de microcrédito devem ser reconhecidos entre diferentes instituições de ensino superior e, por conseguinte, criar um ecossistema onde os estudantes possam obter uma microcredencial numa rede de universidades para obter uma qualificação mais ampla, como um certificado de pós-graduação ou um diploma.

Neste sentido, Catherine Mongenet, CEO da FUN, considera: "Para nós, o grande benefício do sistema de microcréditos é que ele vai garantir que haja transparência e rigor nos resultados de aprendizagem e avaliação. Isto é importante para estabelecer a sua credibilidade entre as universidades parceiras, bem como pelos empregadores. Espera-se que os primeiros microcréditos delimitados por este Parceiro estejam prontos para serem realizados nas plataformas das entididades-membro do Consórcio durante o segundo semestre de 2019. 

O Quadro será promovido em toda a Europa pela Associação Europeia de Universidades de Ensino a Distância (EADTU) em conjunto com os parceiros fundadores da plataforma. Por esta razão, George Ubachs, CEO da EADTU, afirmou que "as nossas universidades-membros acreditam firmemente na importância das formas como podemos melhorar a nossa qualidade de vida." 

Sobre o Consórcio Europeu MOOC (EMC)

O Consórcio Europeu MOOC (EMC) é constituído pelas principais plataformas europeias MOOC: Futurelearn, FUN, MiriadaX, EduOpen e OpenupEd. Estes parceiros representam a maior parte do trabalho de desenvolvimento do MOOC na Europa em termos de estudantes e número de MOOCs, oferecendo juntos mais de 2000 MOOCs. 

Em conjunto, representam uma grande rede de 250 instituições de ensino superior (IES) e empresas que trabalham em várias línguas europeias, incluindo inglês, francês, espanhol e italiano. A criação do Consórcio Europeu MOOC (EMC) acelera a colaboração entre os principais actores europeus do MOOC e cria o poder e o volume de um movimento MOOC europeu.

Acções de coordenadas EMC para..:

  • aumentar a conscientização e o uso da educação digital e MOOCs nas universidades e capacitá-las para integrá-las em sua organização.
  • aumentar o impacto de cada um dos seus parceiros da plataforma na política educativa, tomando uma iniciativa neste domínio.
  • reforçar o sector da educação contínua, aumentando a credibilidade e a visibilidade dos MOOC.
  • fazer dos MOOC uma opção amplamente considerada para os empregadores que procuram fechar as lacunas de conhecimentos e competências na economia e para os trabalhadores interessados em mudar de carreira.

 

Mostrando 2 resultados.